Do fechamento à flexibilização do uso das áreas de lazer

Liberar os espaços em sua totalidade e sem medidas de prevenção seria imaturo, diz advogado

O fechamento das áreas de lazer foi uma das primeiras medidas de prevenção dos condomínios contra o coronavírus e isso causou a insatisfação de muitos moradores. “As crianças estão estressadas em casa”, “Preciso me exercitar”, “Um absurdo pagar por aquilo que não estou usufruindo”, foram algumas das reclamações.

No começo do mês de maio, o decreto federal nº 10.344 incluiu as academias como serviços essenciais e gerou ainda mais pressão para que síndicos liberassem o espaço.

Na percepção do advogado Fernando Zito, liberar espaços de lazer em sua totalidade seria imaturo e comenta sobre a possibilidade de flexibilização do uso, com medidas preventivas rigorosas, como agendamento de horário por família e obrigatoriedade de máscaras.

Assista!

via https://www.sindiconet.com.br/